O projeto “Ser Mãe e…” tem como objetivo o mapeamento e fortalecimento de mulheres, mães ou gestantes, que tenham em mente ou desejem colocar em prática projetos culturais nas áreas de artes cênicas, musica, artesanato, artes visuais, oralidade, literatura, entre outros, compartilhando com 15 mulheres as diversas possibilidades de escrita, captação de recursos e gestão de projetos, enquanto se é mãe, podendo optar por empreender e estar próximas dos filhos por mais tempo caso queiram. Além de uma vivência aprofundada em gestão de projetos, também estão previstos 04 encontros com mulheres inspiradoras, mães e artistas que poderão compartilhar suas trajetórias com as participantes do projeto, estes encontros serão abertos ao público em geral. Ao final do projeto, pretende-se entregar a cada uma das participantes 10 livretos contendo imagens e textos que contam as suas próprias trajetórias, sendo também uma forma de elas se perceberem como protagonistas de suas próprias histórias, fundamentais para o desenvolvimento das comunidades em que estão inseridas, começando pela família, pelo bairro, pela escola. Pretende-se envolver diretamente 24 mulheres, entre as participantes da oficina, assistente de produção, contadora de histórias, fotógrafa e diagramadora.

A maternidade é algo presente na vida da grande maioria das mulheres, sejam elas jovens ou adultas, seja a gravidez planejada, indesejada ou surpresa boa, a mulher é historicamente preparada psicológica, social e culturalmente para vivê-la intensamente, na maioria das vezes abrindo mão de projetos, desejos e sonhos até que o bebê consiga ser cuidado por outras pessoas ou já possa ir para uma creche, quando isso é possível. A luta por igualdade nos cuidados com os filhos ainda é algo muito novo, visto que a mulher ainda tem um papel fundamental como responsável pelos afazeres domésticos, cuidados com os filhos desde a educação, saúde e inserção social, enquanto os pais, mesmo os que assumem seus filhos, têm o papel de trabalhar fora e prover o sustento destes núcleos familiares. Nas periferias, a grande quantidade de mulheres que assumem os filhos inclusive sem a presença dos pais é imensa. Então se tornam mães, donas de casa, trabalham fora em busca do sustento: jornada tripla, no mínimo. Por outro lado, quase sempre quando se fala em direitos da mulher-mãe, pensa-se em creches, postos de saúde, escolas e afins. Pressupõe-se quase sempre que a mulher para “sobreviver” sendo mãe, precisa passar a maior parte de seu tempo longe de seus filhos. Entendemos que a mulher pode querer também ter o direito de conviver com suas crianças, trocando e aprendendo com elas, no dia a dia. Lembrando que a convivência das crianças com a família, quanto mais prolongada, mais a prepara para encarar o desafio de crescer, especialmente num mundo em que cada vez mais nos afastamos uns dos outros, diante de tantas tecnologias, informações, possibilidades e modernidades facilmente acessadas tanto por crianças como por adultos.

Buscando, portanto a possibilidade do encontro e da convivência, e pensando que necessitamos diariamente nos transformar, este projeto propõe uma série de compartilhamento de saberes no que diz respeito à elaboração, captação de recursos e gestão de projetos socioculturais, especialmente, com foco em mães ou gestantes, que tenham o desejo de empreender em suas carreiras artísticas, culturais ou em projetos sociais, podendo, caso queiram, cuidar de suas próprias agendas a fim de ter mais tempo livre com seus filhos. Mas também estamos abertas a compartilhar e conhecer mães que queiram ter o seu próprio momento de aprendizado, e também queremos compartilhar com elas que isso é possível. O importante é: ser mãe e ser o que mais quiser ser. A maternidade não nos impede de nada. Nossos filhos se adaptam a quem somos e ao que pretendemos ser, e não o contrário.

O projeto pretende beneficiar diretamente 24 mulheres:

– Uma mãe produtora que fará a orientação da Oficina semanal, apoiando as mulheres que já tenham seus projetos em andamento em encontros quinzenais, coordenando o projeto e escrevendo as histórias das mulheres envolvidas para a publicação do livreto;

– Uma artista que realizará atividades lúdicas com as crianças que acompanharem suas mães nos dias de oficinas e demais ações previstas no projeto;

– Uma assistente que realizará funções relacionadas ao desenvolvimento do projeto, tanto no preparo das ações, mapeamento das mulheres participantes, apoio nos dias de oficina tanto para as mulheres como nas atividades com as crianças, divulgação, tramites administrativos relacionados ao projeto;

– Uma fotógrafa que fará o registro do projeto e as imagens para o livreto Ser mãe e…;

– Uma designer ou ilustradora que fará a diagramação do livreto;

– Quatro mulheres-mães-empreendedoras-inspiradoras que irão contar suas histórias para as participantes e para outras mulheres que queiram participar das rodas de conversa, incentivando-as a acreditar em seus projetos;

– Quinze mulheres que passarão por um processo de aprendizado aprofundado a fim de aperfeiçoar o trabalho que já realizam ou colocar em prática um projeto que sonham, e, que poderão ter seus filhos por perto, caso queiram;

Acreditamos que este projeto é – além de um desejo profundo de troca entre mães que sabem a importância de existir da forma que existem, para e com os seus filhos, famílias e comunidades – no mínimo transformador, pois o próprio encontro de tantas potencialidades existentes em cada mulher-mãe-educadora-pedreira-amante-trabalhadora-artista-faxineira-atriz-cantora já será em si uma transformação. Além disso, propõe-se através da troca de saberes maternos-empreendedores ampliar projetos que em si já são grandiosos, e que estão escondidos, em algum lugar, em algum lar, da zona sul da cidade de São Paulo.

Buscamos contar para o maior número possível de mulheres que é possível ser mãe e existir sendo muitas outras coisas. E que as crianças são bem vindas nos espaços de trabalho, convivência, aprendizado. Não precisamos deixar de ser quem somos para sermos mães. Acreditamos num mundo em que as crianças ensinam, convivem, transformam. Ao mesmo tempo que as mulheres protagonizam histórias sem saber. Queremos contar a elas o quanto são protagonistas. E o quanto suas existências são importantes para suas famílias, comunidades, escolas, bairros.

Atividades que serão realizadas

  • Mapeamento de mães ou gestantes que tenham interesse em participar do projeto através de chamamento, indicações e visitas a instituições parceiras que apoiem ou tenham grande circulação deste público;
  • 01 edição da oficina “Ser Mãe e… Empreendedora em projetos socioculturais” com 15 vagas para mães com idade a partir de 14 anos; Serão 16 encontros com 3 horas cada, 01 vez por semana, totalizando 48 horas de trabalho continuado;
  • Encontros quinzenais de apoio à escrita e gestão de projetos: a proposta é que integrantes de grupos, artistas ou produtoras que já tenham projetos socioculturais em andamento, ou necessitem de apoio para iniciar a administração de seus projetos possam tirar suas dúvidas e ter acompanhamento mais aprofundado de suas questões. Estes encontros serão realizados com hora marcada, podendo ser em grupo ou individuais, dependendo dos assuntos. Será reservado um dia da semana especifico para isto. Pretende-se apoiar os grupos e mulheres interessadas nos seguintes assuntos: Escrita de Projetos, Desenvolvimento na Prática, Relação com cada tipo de apoiador, Prestação de Contas, Formas de Contratação mais indicada para cada tipo de projeto, Dicas de softwares, Possibilidades de Formalização (MEI, ME, Cooperativas ou Associações), dentre outros assuntos que sejam necessários.
  • 04 Rodas de Conversa: “Ser mãe e…

A proposta é convidar mulheres mães e empreendedoras sociais, culturais ou artistas de diferentes áreas de atuação, olhares e regiões a fim de compartilhar suas vivencias como mães empreendedoras e inspirar outras mulheres participantes;

  • Fomento à mãe e artista Monica Ramos que é atualmente aprendiz da Oficina de Produção Cultural em andamento no Espaço Cultural CITA, que pretende realizar um trabalho de contação de histórias, mediação de leitura e brincadeiras com os filhos e filhas das participantes do projeto, caso elas queiram que os pequenos as acompanhem durante todo este processo nos dias de atividades;
  • Fomento a uma jovem mãe que atuará como assistente no desenvolvimento do projeto;
  • Registro do projeto realizado por uma mãe fotógrafa, colhendo imagens de cada uma das mulheres participantes e de seus respectivos projetos, caso já os tenham;
  • Criação de textos, diagramação e impressão de um livreto no qual cada uma das mulheres participantes do projeto será protagonista em uma página (frente e verso), além de imagens, o livro deverá conter um pouco da trajetória de mãe e empreendedora de cada uma das mulheres envolvidas;
  • Evento sociocultural realizado pelas participantes da oficina como finalização do projeto, sendo também o lançamento e entrega do livreto Ser Mãe e… a cada uma das mulheres participantes;
  • Distribuição do livreto gratuitamente ou a valores populares com foco no fortalecimento das mulheres envolvidas no projeto;

 

OFICINA “SER MÃE E… EMPREENDEDORA EM PROJETOS SOCIOCULTURAIS?”

PÚBLICO PRETENDIDO: Mulheres, mães ou gestantes com idade a partir de 14 anos.

Com foco no fortalecimento e fomento a ações realizadas por mulheres-mães das periferias da cidade, a proposta da oficina é compartilhar conhecimentos e ferramentas possíveis para elaboração, gestão e desenvolvimento na prática de projetos socioculturais a artistas, grupos, aspirantes a produtoras culturais e demais interessadas que já atuem ou queiram atuar nas áreas de teatro, dança, audiovisual, artes plásticas, artesanato, entre outras possibilidades.

METODOLOGIA

  • →Teoria: Leitura e indicação de textos e vídeos, propondo também bate-papos e debates com produtores culturais diversos;
  • →Prática: Elaboração de um projeto cultural e realização de uma ação ou evento que terá pré-produção e produção realizada pelas próprias aprendizes, dividindo-as em equipes, podendo também ser a inserção dos aprendizes em evento existentes no Espaço Cultural CITA;

 

 

Anúncios