JUNHO NO ESPAÇO CULTURAL CITA E PRAÇA DO CAMPO LIMPO

TODAS AS SEXTAS – DIAS 05, 12, 19 e 26

Das 20:00 às 23:00 * * * PROJETO MAIS RAP * * *

Iniciativa de coletivos e MC’s de Campo Limpo e região, o projeto MAIS RAP acontece todas às sextas feiras, das 20:00 às 23:00hs, na Praça do Campo Limpo com o apoio do Espaço Cultural CITA. Acontecem Batalha de Mc’s, Pocket Shows, Discotecagens, RAP Gospel, MIC aberto ao público, mini-sarau, dentre outras novidades e atrações.  O projeto Mais Rap vem semanalmente relembrando a importância histórica da Praça do Campo Limpo para o movimento Hip-Hop da região.

CITA RECEBE: Encontro Mulheres Negras na Dança

* * *  SÁBADO – 06 DE JUNHO * * * 

Das 14:00 às 17:00 – Oficina: “Dança da Indignação com Cia. Sansacroma”

Oficina prática que propõe um compartilhamento da pesquisa e criação do conceito criado por Gal Martins, denominado: A Dança da Indignação. Uma linguagem estética em dança que possa reverberar as indignações sociais e pessoais através de uma abordagem política trazendo signos e elementos de uma singularidade entre arte e vida, vida e arte.

                             * * *  DOMINGO – 07 DE JUNHO * * * 

Das 14:00 às 17:00 – Oficina Dança Negra Contemporânea: procedimentos criativos com Nave Gris Cia. Cênica

Oficina prática cuja inspiração vem do universo cultural da tradição afro brasileira de origem banto, onde o corpo é o local da memória e a dança é uma das maneiras pelas quais os saberes são transmitidos de geração para geração e estão em continuo movimento. O workshop pretende ser um espaço para o estudo e desenvolvimento de uma dança autoral que se origina das corporeidades nestas manifestações.

Inscrições: enviar email para  navegrisciacenica@gmail.com com o assunto “Inscricão Oficina” até 01 de junho de 2015.

  • Estas atividade fazem parte do Encontro Mulheres Negras na Dança, projeto realizado pela Nave Gris Cia Cênica com o apoio do ProAC nº 29/2014 – Concurso de Apoio a Projetos de Proteção e Promoção das Culturas Negras no Estado de São Paulo.

06 DE JUNHO – SÁBADO – 17:00

* * * 1º OUVINDO AS VOZES DA EXPERIÊNCIA – Tropeiros Batuques e Tradições recebem: Mestra Sol da Silva do Jongo Embu das Artes. *  *  *

A proposta é que cada coletivo artístico que atua no CITA, receba uma pessoa ou grupo, que poderá realizar palestras, bate-papos ou intervenções de mestres da cultura popular, das artes cênicas, do hip hop ou qualquer outra manifestação artística, promovendo encontros e vivências abertas à comunidade.

Esta atividade faz parte do projeto CITA Integrar para (Co)Nstruir realizado com o apoio do Edital ProAC Nº 26/2014  “CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE TERRITÓRIO DAS ARTES (MANUTENÇÃO DE ESPAÇOS) NO ESTADO DE SÃO PAULO”.

TODO PRIMEIRO SÁBADO DO MÊS

06 DE JUNHO

19:00 * * * RODA DE JONGO COM O GRUPO TROPEIROS BATUQUES E TRADIÇÕES   * * *
Tropeiros é um grupo que surge através de um interesse comum pela cultura tradicional brasileira do sudeste e nordeste, com foco no Jongo, no Samba de Coco e na Ciranda. A idéia é fazer um dialogo das manifestações com a periferia de São Paulo, assim criou-se um núcleo de pesquisa, propondo um projeto de fortalecimento e difusão da cultura brasileira, que tem o intuito de levar às ruas o espírito das brincadeiras populares através dos cortejos, rodas e oficinas. O Tropeiros é um dos coletivos que ocupa o CITA e além de realizar um ensaio aberto semanal, também faz um roda de jongo todo primeiro sábado de cada mês.

 

18 DE JUNHO – QUINTA-FEIRA – 20:00

  * * * 3º Caldos e Causos – convida Geraldo Magela do Brasil * * *

  Toda penúltima quinta-feira de cada mês, por iniciativa do núcleo de Literatura do CITA, acontecerá um encontro convidando pessoas que queiram ouvir ou contar histórias, podendo também propor bate-papos com escritores em torno de sua obra, poetas ou músicos que queiram compartilhar causos vividos ao longo de suas trajetórias. O encontro ou roda de histórias estará sempre aliado ao preparo de um caldo que será servido para todos os participantes. O 1º Caldos e Causos, realizado em abril inaugurou o Quintal das Histórias, um cantinho totalmente dedicado à leitura e trocas sobre o universo da oralidade dentro do Espaço Cultural CITA.

20 DE JUNHO – SÁBADO – 14:00

* * * OUVINDO AS VOZES DA EXPERIÊNCIA: Maracatu Ouro do Congo convida Deivson Santana, batuqueiro da Nação do Maracatu Porto Rico * * *

A proposta é que cada coletivo artístico que atua no CITA, receba uma pessoa ou grupo, que poderá realizar palestras, bate-papos ou intervenções de mestres da cultura popular, das artes cênicas, do hip hop ou qualquer outra manifestação artística, promovendo encontros e vivências abertas à comunidade. Deivson Santana, batuqueiro da Nação do Maracatu Porto Rico e Ogã desde os 14 anos. Através da cultura popular, Deivson realiza um trabalho social há 11 anos, mobilizando a comunidade Ilha de Deus no Recife – PE, suas ações são desenvolvidas junto ao projeto Maracatu Nação da Ilha com crianças e adolescente. Em julho de 2010, conduziu a oficina que marcou a fundação do Grupo Maracatu Ouro do Congo, que desde 2011 atua no Espaço CITA. Desde então, Deivson Santana marca presença todos os anos acompanhado o crescimento do grupo e fortalecendo cada vez mais esta família com sua experiência e dedicação ao Maracatu de Baque Virado. A proposta principal deste encontro será desenvolver com o público interessado uma mostra de todo trabalho sócioreligioso da Naçãodo Maracatu Porto Rico, bem como o conhecimento sobre o baque da Nação, levando a cultural regional de Pernambuco para fora do Estado. Além de promover estudos teóricos e práticos sobre o baque virado desenvolvido pela Nação do Maracatu Porto Rico, ensinando a execução de cada instrumento utilizado nesta manifestação e sua composição.

Esta atividade faz parte do projeto CITA Integrar para (Co)Nstruir realizado com o apoio do Edital ProAC Nº 26/2014  “CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE TERRITÓRIO DAS ARTES (MANUTENÇÃO DE ESPAÇOS) NO ESTADO DE SÃO PAULO”.

                   

 * * *  DOMINGO – 21 DE JUNHO * * *                                                                  

 15:00 – SARAU DO BINHO NA PRAÇA DO CAMPO LIMPO RECEBE SOM NA RURAL
Mensalmente acontece na Praça do Campo Limpo, como resultado de uma parceria entre o Sarau Do Binho  e o Espaço Cultural CITA.
Poetas, músicos, atores e ativistas culturais se encontram e o microfone é aberto para as manifestações.
Apoio: ProAC Saraus 2014.

Uma Rural Willys azul 1969 poderia ser apenas mais um carro antigo circulando pelas ruas do Recife. Poderia, mas não é! Pilotada pelo agitador cultural Roger de Renor e pelo sócio, diretor de fotografia e dono do veículo, Niltinho Pereira,o projeto batizado de Som na Rural, assim que estaciona com seu estilo único, palco e microfones, leva multidões, que já ultrapassaram a quantidade de 4 mil pessoas, às praças públicas do Recife, desburocratizando a ideia de eventos em lugares fechados e provocando a reflexão sobre as intervenções urbanísticas por parte do poder público. Discussões como essas, tiveram seu ponto alto em acontecimentos como a proibição da Rural na Rua da Aurora, pela prefeitura do Recife, a reintegração de posse da Praça da Independência, também conhecida como Praça do Diário e o movimento pela salvaguarda da área do Cais José Estelita, que deve ceder espaço a um megaempreendimento imobiliário. Criada há seis anos para ser parte da programação de uma TV pública, a iniciativa tornou-se independente em 2013 e já apresentou shows de artistas como Mombojó, Orquestra Contemporânea de Olinda, Criolo, Karina Burh, Otto entre outros. Desde então vem crescendo em visibilidade não só por levar música às ruas, mas também por promover rodadas de debate sobre temas sociais e urbanos, assumindo-se como uma ação política de rua que usa a música como plataforma, pensando e agindo à frente e modificando a realidade através da criatividade e indo de encontro a qualquer processo que tente elitizar ou privatizar o espaço urbano. Aos 51 anos, Roger de Renor tem uma longa participação na vida cultural do Recife. Já foi capoeirista, ator, representante de gravadora, dono de bar e apresentador de programa  de TV e rádio. Acompanhou de perto o surgimento de festivais grandiosos, como o Abril pro Rock, Rec Beat e incentivou a formação de bandas. Não à toa, foi imortalizado na música Macô, de seu amigo Chico Science, que, no refrão,  pergunta: “Cadê Roger? Cadê Roger? Cadê Roger?”. Está na Praça, Chico, levando cultura de carona em uma velha Rural.

 

 * * *  SÁBADO – 27 DE JUNHO * * * 

 ENSAIO DO MARACATU OURO DO CONGO NA PRAÇA DO CAMPO LIMPO

O Maracatu Ouro do Congo surgiu na Zona Sul de São Paulo, sobre a benção do Mestre Chacon Vianna, é filho da Nação do Maracatu Porto Rico uma das Nações mais antigas do Recife e tradicionalmente conhecida pelo baque virado, o baque das ondas do mar. Fundada em 2010, o grupo Maracatu Ouro de Congo realiza uma intensa pesquisa sobre essa incrível manifestação artística da nossa cultura popular e atua desde 2011 no Espaço Cultural CITA, promovendo ensaios abertos a quem tenha interesse em aprender a tocar ou até mesmo construir tambores.

  

OFICINAS COM INSCRIÇÕES ABERTAS:

VIVÊNCIA EM MARACATU

As inscrições estarão sempre abertas para os encontros onde o aprendiz toma conhecimento com um pouco da história do ritmo, bem como a construção dos tambores e toque dos diversos instrumentos. A oficina é orientada por integrantes do grupo Maracatu Ouro do Congo que atua no Espaço Cultural CITA desde 2011.

Sextas das 10:00 às 12:00

Sábados das 14:00 às 15:00

CAPOEIRA ANGOLA

Com o Contra-Mestre Chico Porreta da Capoeira Irmãos Guerreiros.

Todas as Quintas das 19:00 às 20:30

HIP HOP (MC – O UNIVERSO DO CANTO FALADO / POESIA CANTADA) COM POW LITERA-RUA

Vivência que aborda o universo do canto falado tanto na teoria quanto na prática.

Toda terça das 16:00 às 18:00

DANÇA PARA INICIANTES (CORPO E MOVIMENTO)

Com Paloma Xavier

Terças das 13:00 às 15:00

EM BREVE!!!

INSCRIÇÕES PARA O 2º CICLO DE OFICINAS DO CITA

 

Baixe ou imprima a agenda completa: Agenda_Junho_2015