Já são 05 anos!!!

Para nós, ocupar artisticamente o Espaço Cultural CITA significa dar continuidade e afirmar a nossa própria história. Queremos compartilhar um espaço onde se possa criar, tocar tambores, dançar, pensar novas possibilidades para as crianças e jovens de hoje, novos modos de vida que vão contra imposições e modelos que não nos representam. Aqui, cuidamos do jardim, aramos e nos sujamos de terra no bosque, para juntos brincar, e de noite jongar ou ouvir histórias em volta da fogueira. Pra fazer aulas e reuniões ao ar livre. Pra nas tardes de sábado ouvir tambores de maracatu que ecoam de nosso quintal. O Circuito de Integração de Todas as Artes é, portanto, uma grande festa.

PROGRAMAÇÃO NOVEMBRO / 2016

sarau-da-ponte-pra-ca
O sarau “da Ponte pra Cá” ocupa e revitaliza (físico e intelectual) toda primeira segunda feira de cada mês A Praça do Campo Limpo através da poesia, teatro, música, dança, fotografia, microfone aberto entre outras expressões artísticas e do livre pensar. Entendendo ‘praça’ enquanto um espaço público urbano livre de edificações, veículos e que da prioridade ao/a transeunte, escolhemos nosso campo de batalha no atual contexto político, social e cultural da Metrópole São Paulo. O sarau passa a ter apoio do CITA no ano de 2016, passando a ser um dos coletivos que participa da gestão do espaço.

***

horacio
Horácio é um espetáculo onde as propostas estéticas do Ágora Teatro baseadas na forma narrativa de interpretação e na busca da menor grandeza, aparecem da forma mais radical. O espetáculo se concentra num pequeno espaço de 2×3 metros, uma meia máscara neutra , uma moeda antiga e o trabalho do ator. Ficha técnica: Texto: Heiner Muller Tradução: Ingrid Dormien Koudela Direção e Adapatação: Celso Frateschi Espaço Cênico: Sylvia Moreira Elenco: Celso Frateschi Luz: João Castanho Realização ÁGORA TEATRO.

***

espirito-de-zumbi
Os arte-educadores (capoeiristas) Jonas Gariglio Barbosa, batizado como Arákùnrin e Gilberto dos Santos Fonseca realizavam um trabalho capoeirístico em meados 1.983 junto as comunidades de M’Boi Mirim onde residem desde crianças. Após alguns anos de pesquisas e estudos sobre a arte da capoeira criou-se o grupo Espírito de Zumbi em 20 de novembro de 1992, com a proposta de difundir as diversas manifestações da cultura afro brasileira. Este ano o Grupo traz um repertório que contempla o Samba de Coco, trazendo músicas de grupos tradicionais e canções de própria autoria. A ideia é levar para diferentes públicos de diversas regiões um aperitivo do evento Panelafro , que faz parte do Roteiro turístico Afro da cidade de São Paulo. Ficha Técnica Dançarinos: Shirley Nascimento Isabella Oliveira Orlando Bonami Percussionistas: Rabi Batuqueiro Gel Nascimento Luiz Spinola Érika Roberta Charen Ruiz Wanderson Cartezini Voz: Loredana Arakunrin

***

buraco
O Encantamento da rabeca conta histórias de transformação vivida por mulheres brincantes, que cantam, tocam, dançam, “botam” bonecos e máscaras, com intuito de revelar o protagonismo, a fragilidade, a força e a resistência dessas mulheres em terreno originalmente masculino. Partindo da pesquisa dos folguedos do universo da rabeca, onde se faz presente ritos e brincadeiras, como o cavalo-marinho da Zona da Mata de Pernambuco e o Fandango Caiçara presente no Litoral Sul Paulista. No palco vida e morte, passado e presente buscando um diálogo entre a tradição e a invenção, onde a invenção se transforma em tradição e a tradição dá as cartas para a próxima invenção. FICHA TÉCNICA Texto: Lu Coelho Colaboradores de roteiro: Pablo Dantas e Cleydson Catarina Encenação: Lu Coelho Elenco: Lu Coelho e Nataly Oliveira e Sheila Alencastro Duração: 50min Confecção Bonecos de luva, Trio de Rabequeiras e máscara de madeira: Associação Cultural dos Mamulengueiros e Artesões de Gloria do Goitá. Produção geral: O Buraco d` Oráculo

***

sambadas
Sambadas é um grupo de samba de mulheres formado no 8 de março de 2015, nas celebrações pela luta de tantas guerreiras fundamentais para que outras mulheres pudessem traçar com liberdade o próprio caminho. Nossa roda de samba é um ato feminista para festejar e para fazer política. Há muito pouco tempo o samba, os espaços públicos, a boemia não eram espaços ocupados por mulheres, o machismo cotidiano histórico silenciou as sambistas que, ainda assim, resistiram com seus instrumentos, suas vozes e suas composições. Sete mulheres: violão, pandeiro, tamborim, surdo, atabaque, chocalhos, clarinete e vozes de arrepiar. Nossa roda de samba só de mulheres! Ficha Técnica: Carol Nascimento: Violão e voz Paloma Franca Amorim: Voz, clarinete e chocalhos Maria Fernanda de Barros Batalha: Voz e percusão Erêndira Oliveira: Voz e percussão Bianca Cruz: Percussão e voz Camila Midori: Percussão e voz Débora Soares: Percussão e voz

 ***

19 NOV – SÁBADO

22:00 * Roda De Jongo Candongueiros do Campo Limpo | Local: Espaço Cultural CITA

14543692_1110342179002973_3067966591846604915_o
O objetivo do coletivo é pesquisar e promover vivências de aprendizado em torno das manifestações tradicionais brasileiras, com foco nas manifestações sudestinas. Para isso, realiza mensalmente uma Roda de Jongo aberta à participação do público no Espaço Cultural CITA. Imagem: Kenny Rogers

 ***

20 NOV – DOMINGO

19:00 – Noite Musical (Encontro de Músicos Parceiros do Espaço Cultural CITA)

10313579_10205812800382469_2004980658299733180_n
Uma Jam Session com curadoria de Dêssa Souza, Sandro Lima e Guinão Oliveira  convidando compositores, músicos e intérpretes muito especiais. Chega com a gente pra tocar ou ouvir um som. Traga seu instrumento! Foto: JC SENA

***

26 NOV – SABADO

15:00 * COLETIVO ALMA * CANTO DAS ÁGUAS | Local: Praça do Campo Limpo

colorida
O rio é um museu que se move. Suas coleções – ecos e arquétipos do feminino na margem e no tempo. O espetáculo teatral “Canto das Águas” é um musical que narra com vozes e tambores a mescla de vidas e culturas marginalizadas bem como a história de vínculos e rupturas na relação com as águas. Um universo tecido como os rios, de percurso, conflitos e encantarias. Ficha técnica: Elenco: Ana Cristina Souza Heloísa Vieira Thabata Ottoni Músico: Helder Gama (Catraka)

***

20:00 – TIÃO CARVALHO | Local: Espaço Cultural CITA

tiaocarvalho_igorcosta5
Músico, compositor, cantor, dançarino, ator, brincante, educador e líder comunitário, Tião Carvalho leva para o Espaço Cultural CITA uma vivência dançante pelas nuances da cultura popular brasileira. O fio condutor deste grande momento será a apresentação musical que traz essa mistura de ritmos tradicionais, que percorrem pelo Forró, o Samba, o Maracatu, o Bumba-meu-boi, o Cacuriá, o Tambor de Crioula entre outros. Sua sonoridade remonta a dos grandes mestres do cancioneiro nordestino como Jackson do Pandeiro, João do Vale, Dominguinhos e Luiz Gonzaga, que ganham interpretações expressivas do cantor. O repertório é enriquecido com composições próprias e de outros músicos maranhenses, resgatando a ancestralidade cultural de sua terra, o Maranhão. | Foto: Igor Costa.

 ***

COORDENAÇÃO E PRODUÇÃO EXECUTIVA

Dêssa Souza

DIAGRAMAÇÃO / ARTES GRÁFICAS

Welton Silva

REALIZAÇÃO, CURADORIA E PRODUÇÃO GERAL: 
Bando Trapos
Projeto Mais Rap
Escola de Notícias
Sarau da Ponte Pra Cá
Maracatu Ouro do Congo
Candongueiros do Campo Limpo

Instituto CITA – Canto de Integração de Todas as Artes

Apoio do Programa Cultura Viva – Parceria da Secretaria de Cultura da Cidade de São Paulo e Ministério da Cultura

15110511_1798773223715672_5154820816353786423_o

 

Anúncios